04 janeiro 2011

Mudam-se os tempos...

Ando com preguiça de postar, confesso!
Fico pensando no rumo que teve meu blog e nos textos que antes eu escrevia e quase não aparecem mais... deixando em mim a sensação que mudei de "personalidade".
Hoje deu vontade de escrever, afinal aqui é meu espaço, por que me condenar por querer fazer só aquilo que estou com vontade?

E pelo modo totalmente atípico que passei a virada do ano, concluo que devo deixar de lado todo pensamento que me remeta ou mantenha presa a regras, convenções, conceitos antigos ou qualquer coisa que não leve ao bem-estar.  Então, me proponho aceitar de forma positiva todas as novidades! (mesmo que alguma delas seja bastante dolorosa).

Eis que lendo pela net me deparei com este poema.
Tão apropriado que parece que foi escrito para o meu momento.

Aí está o poema de Luís Vaz de Camões
Tão antigo e tão atual!


MUDAM-SE OS TEMPOS...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.


Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem - se algum houve - as saudades.


O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto:
que não se muda já como soía.





Pra quem como eu não compreendeu  o significado da palavra soía, clique aqui e leia a explicação.
2011 novos planos e novas metas, mas a esperança de mudar pra melhor é sempre a mesma.

Feliz ano novo!